CÓDIGO DE ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DE MATCHMAKER DE AMOR IDEAL GAYLES

Esta atividade é composta por um conjunto de valores fundamentais. Rstes valores fundamentais, foram recolhidos e adotados pela Certificação da Matchmaking Academy e são a base e a perspectiva e propósito único da nossa certificação privada.

Estes valores fundamentais são:

Excelente serviço ao cliente
Dignidade da pessoa humana
Importância pelas relações humanas
Integridade
Competência

Estes valores fundamentais refletem o que é exclusivo e vital para a profissão de Matchmaker

Objeto do Código de Ética

A ética profissional é o objetivo central dos Matchmaker da Amor Ideal Gayles. A profissão tem a obrigação de articular os seus valores básicos, princípios éticos y normas éticas. O Código de ética da Rede de Matchmakers estabelece estes valores, princípios e normas para guiar a conduta pessoal e profissional dos Matchmakers certificados. O Código é relevante para todos os profissionais de Marchmaking independentemente das suas funções profissionais, dos ambientes em que trabalham ou os publicos que servem.

Este Código de Ética tem seis propósitos.

  1. O Código identifica os valores fundamentais que todos os Matchmakers certificados devem possuir;
    2. O Código resume os princípios éticos gerais que refletem os valores fundamentais da profissão e estabelecem um conjunto de normas éticas específicas que devem usar-se para guiar a práctica de Matchmaker;
    3. O Código está desenhado para ajudar os Matchmakers a identificar as considerações relevantes quando surgem conflitos de obrigações profissionais ou surgem incompatibilidades éticas;
    4. O Código proporciona normas éticas para informação ao público em geral;
    5. O Código foi realizado para que os Matchmaker acrescentassem à sua missão, valores, princípios éticos e normas éticas importantes;
    6. O Código articula normas que a própia profissão de Matchmaking pode usar para avaliar se os Matchmaker se envolveram em condutas pouco éticas.

Princípios éticos
Os princípios éticos baseiam-se nos valores fundamentais de Matchmaking, de serviço de excelência, dignidade e valorização da pessoa, importância das relações humanas, integridade e competência. Estes princípios estabelecem os ideais aos quais todos os Matchmakers devem aspirar e respeitar.

O objetivo principal dos Matchmakers é ajudar as pessoas a conseguirem apresentações de qualidade no que respeita ao par que procuram e com quem desejam ter uma relação saudável.
Os Matchmakers prestam um serviço aos outros, acima do seu interesse privado. Os Matchmakers aproveitam os seus conhecimentos, valores e habilidades tecnicas e de comunicação, para ajudar as pessoas a alcançar os seus objetivos, propósitos ou transformação pessoal.

Normas Éticas
As seguintes normas éticas são importantes para a atividade profissional de todos os Matchmakers, estas normas referem-se a: (1) as responsabilidades éticas dos Matchmakers com os clientes, (2) as responsabilidades éticas dos  Matchmakers com os colegas, (3) as responsabilidades éticas dos Matchmakers nos locais de práctica, (4) as responsabilidades éticas dos Matchmakers como profissionais, (5) a ética dos Matchmakers e Responsabilidades da profissão de Matchmakers.

Artigos

  1. Compromisso com os clientes:
    A responsabilidade princípal dos Matchmakers é promover o bem-estar (mudança) dos clientes. Em geral, os interesses dos clientes devem estar alinhados com este propósito de bem-estar e de mudança.
  2. Autodeterminação:
    Os Matchmakers respeitam e promovem o direito dos clientes à sua autodeterminação e ajudam os clientes nos seus esforços para identificar e aclarar as suas metas e objetivos.
  3. Conflitos de interesse:
    (a) Os Matchmakers devem estar alerta e evitar conflitos de interesse que interfiram com o exercício da descrição profissional e o juízo imparcial. 
    Os Matchmakers devem informar os clientes quando surja um conflito de interesses real ou potêncial e tomar medidas razoáveis para resolver o problema de maneira a que os interesses dos clientes sejam salvaguardados e protegidos da melhor forma possível. Em alguns casos, proteger os interesses dos clientes pode requerer a resolução da relação profissional com o encaminhamento adequado dos clientes a outro colega.
    (b) Os Matchmakers não devem tomar vantajem injusta de nenhuma relação profissional ou explorar a outros para promover os seus interesses pessoais, religiosos, políticos ou comerciais.
  4. Privacidade e confidêncialidade:
    (a) Os Matchmakers devem respeitar o direito à privacidade dos clientes. 
    Os Matchmakers não devem partilhar nenhuma informação privada dos clientes a outros, a menos que seja essencial para proporcionar serviços adequados.
    (b) Os Matchmakers podem divulgar informação confidêncial quando seja apropiado com o consentimento válido do cliente ou uma pessoa legalmente autorizada para dar o seu consentimento em nome de um cliente.
    (c) Os Matchmakers devem proteger a confidêncialidade de toda a informação obtida no decurso do serviço profissional, excepto por razões profissionais convincentes e justificadas e legalmente válidas.
    (d) Os Matchmakers devem informar os clientes, na medida do possivel, sobre a divulgação de informações confidênciais e das possíveis consequências, quando seja possivel, antes de se fazer essa divulgação. Isto aplica-se se os Matchmakers forem obrigados a divulgar informação confidêncial na base de uma exigência legal, ou a pedido e com o consentimento do cliente.
  5. Respeito:
    (a) Os Matchmakers devem tratar os clientes com respeito e devem apresentar de maneira precisa e justa as suas qualificações, opiniões, obrigações e objetivos do seu serviço.
    (b) Os Matchmakers devem evitar críticas negativas injustificadas de colegas em comunicações com clientes ou com outros profissionais, ou os meios de comunicação sociais. As críticas negativas injustificadas podem incluir comentários degradantes que se refiram ao nível de competência dos colegas ou aos atributos dos individuos, tais como raça, etnia, origem, cor, sexo, orientação sexual, idade, estado cívil, cor política, religião e incapacidade mental ou física de qualquer forma.
    (c) Os Matchmakers podem cooperar com colegas de Matchmaking e com colegas de outras profissões quando essa cooperação sirva para o bem-estar dos clientes.
  6. Confidencialidade entre colegas
    Os Matchmakers devem respeitar a informação confidêncial partilhada por colegas no decurso das suas relações profissionais.
    Os Matchmakers devem assegurar-se de que ditos colegas entendam esta obrigação de Matchmakers de respeitar a confidencialidade e qualquer excepção relacionada con esta mesma confidencialidade.
  7. Consultas entre colegas
    (a) Os Matchmakers devem procurar o conselho de colegas quando essa consulta seja do maior e melhor interesse dos seus clientes.
    (b) Os Matchmakers devem manter-se informados sobre as áreas de experiência e competências dos colegas. Os Matchmakers devem procurar a consulta apenas de colegas que tenham demonstrado conhecimento, experiência e competência relacionados com o tema da consulta.
    (c) Ao consultar com colegas sobre clientes, o Matchmakers deve revelar a menor quantidade de informação necessária para atingir os propósitos da consulta.
  8. Referências para serviços
    (a) Os Matchmakers devem recomendar os clientes a outros profissionais complementares (psicólogos, psiquiatras, médicos, coaches, mentores, etc…) quando o conhecimento especializado ou a experiência dos outros profissionais sejam necessários para ajudar os clientes por completo, ou quando os Matchmakers acreditam que não estão sendo efectivos, ou não estão fazendo um progresso razoável com os clientes, e esse serviço adicional é necessário.
  9. Facturação
    Os Matchmakers devem estabelecer e manter prácticas de facturação correntes que reflitam com precisão a natureza e o alcance dos serviços prestados, e que identifiquem quem prestou o serviço no exercício profissional.
  10. Competência
    (a) Os Matchmakers devem aceitar a responsabilidade da profissão e empregar os conhecimentos únicamente sobre a base da competência existente, ou a intenção firme de adquirir essa competência necessária e a melhorar sempre.
    (b) Os Matchmakers devem esforçar-se por serem, e seguir sendo competentes na práctica profissional e no desempenho das suas funções professionais. Os Matchmakers devem rever periódicamente a sua actividade  profissional e participar numa educação permanente relevante para a práctica do Matchmaking e da ética do Matchmaker.
  11. Conduta privada
    Os Matchmakers não devem permitir que a sua conduta privada interfira com a  sua capacidade para cumprir com as suas responsabilidades profissionais.
  12. Desonestidade, fraude e engano
    Os Matchmakers não devem participar, cooperar ou associar-se com práticas ou comunicações desonestas, com fraude ou com enganos, sejam de que forma forem.
  13. Problemas pessoais
    (a) Os Matchmakers não devem permitir que os seus própios problemas pessoais, problemas psico-sociais, problemas legais, abuso de sustâncias ou  problemas de saúde mental, interfiram com o seu juízo e desempenho profissional ou ponham em perigo os melhores interesses das pessoas para quem têm uma responsabilidade profissional.
  14. Representação falsa
    Os Matchmakers devem assegurar-se de que a sua representação perante os clientes, agências e o público em geral, de todas as qualificações profissionais, credênciais profissionais, educação académica, competências, afiliações, serviços prestados, ou resultados alcançados são precisos e verdadeiros.
    Os Matchmakers devem apresentar apenas as credênciais profissionais relevantes que realmente possuem e tomar medidas para corrigir qualquer erro ou lapso das suas credênciais.
  15. Integridade da profissão
    (a) Os Matchmakers devem trabalhar para a manutenção e a promoção de altos standards de prática profissional e desenvolvimento pessoal.
    (b) Os Matchmakers devem defender e promover os valores, a ética, o conhecimento e a missão da profissão, através do estudo e investigação apropiados, da discusão ativa e da crítica responsável da profissão.
    (e) Os Matchmakers devem atuar para prevenir a práctica não autorizada e não qualificada do Matchmaking.

Pin It on Pinterest

Share This